Início / Blog / Português / Uso dos porquês – Por que, Por quê, Porque ou Porquê?

Uso dos porquês – Por que, Por quê, Porque ou Porquê?

Responsive Image

Quem nunca teve dúvida na hora de escrever um dos porquês (por que, por quê, porque ou porquê) que atire a primeira pedra. Esta é uma das dúvidas mais comuns na hora de escrever um texto, tanto para vestibulandos que precisam se destacar na redação quanto para escritores mais experientes. 
 
Cada um desses “porquês” tem uma situação específica de uso. É muito importante entender e distinguir cada uma delas para não perder pontos na redação.
 
Se você ainda tem dúvidas, fique tranquilo. Neste artigo vamos explicar como usar corretamente cada um dos quatro tipos. Confira!
 

Quando usar “por que”

 
O uso do “por que” separado e sem acento tem duas funções. Ele pode ser usado para fazer perguntas ou para estabelecer uma relação com um termo anterior na mesma oração. Veja só.
 

Função interrogativa

 
Aparece início de uma pergunta. Ele pode ser substituído sem perda de sentido por expressões como “por qual motivo”, “por qual razão”, “por que razão”. 
 
Exemplos:
 
– Por que você está levando o guarda-chuva se está sol?
 
– Por que ela não veio trabalhar ontem? 
 
– Por que você vai dormir tão tarde?
 
Substituições do “por que” interrogativo:
 
– Por qual motivo você está levando o guarda-chuva se está sol?
 
– Por que razão ela não veio trabalhar hoje? 
 
– Por qual razão você foi dormir tão tarde ontem?
 

Pronome relativo

 
Como pronome relativo, aparece no meio de uma frase para relacionar termos ou ligar orações. Por ser substituído por “pelo qual”, “por qual”, “pela qual”, “pelas quais”.
 
Exemplos com “por que”:
 
– As dificuldades por que passei não lhe interessam.
 
– A razão por que faltei ao trabalho são íntimas.
 
– O local por que passei é deslumbrante, você precisa visitar também.
 
Substituições do “por que” como pronome relativo:
 
– As dificuldades pelas quais passei não lhe interessam.
 
– A razão pela qual faltei ao trabalho são íntimas.
 
– O local por qual passei é deslumbrante, você precisa visitar também.
 

Quando usar “porque”

 
O “porque” junto e sem acento aparece em orações afirmativas que trazem uma resposta ou explicação, indicando a causa de algo. Por funcionar como uma conjunção, ele liga duas orações explicando a relação de causa entre elas.

Exemplos com “porque”

 
– Não fui à festa ontem porque estava com muita dor de cabeça.
 
– Mês que vem vou viajar porque estarei de férias.
 
– Eu mesmo cortei meu cabelo porque o cabeleireiro estava fechado.
 

Substituição do “porque”

 
Pode ser substituído por palavras como “pois”, “como”, ou pelas expressões “para que”, “já que”, “visto que” e “uma vez que”. Confira.
 
– Não fui à festa ontem visto que estava com muita dor de cabeça.
 
– Mês que vem vou viajar já que estarei de férias.
 
– Eu mesmo cortei meu cabelo pois o cabeleireiro estava fechado.
 

Quando usar “por quê”

 
O “por quê” separado e com acento aparece em perguntas, mas só no final das frases interrogativas. É sempre seguido de um ponto de interrogação ou um ponto final, no caso de uma pergunta indireta, quando se questiona algo mas não aparece um ponto de interrogação.
 

Exemplos com “por quê” 

 
– O diretor não veio hoje por quê?
 
– Já estamos chegando, está nervoso por quê?
 
– A menina foi embora sem dizer por quê.
 

Substituição do “por quê”

É possível substituir por: “por qual motivo” e “por qual razão”. Veja a aplicação nas frases abaixo.
 
– O diretor não veio hoje por qual motivo?
 
– Já estamos chegando, está nervoso por qual razão?
 
– A menina foi embora sem dizer por qual razão.
 

Quando usar “porquê”

 
Usamos o “porquê” junto e com acento para indicar a razão ou o motivo de algo. Ele aparece quase sempre precedendo um artigo definido (o, os) ou indefinido (um, uns). Também pode aparecer junto de um pronome ou numeral com o objetivo de explicar algo dentro da frase.
 

Exemplos com “porquê”

 
– Gostaria de saber o porquê desta sujeira na sala.
 
– Me diga apenas um porquê para eu não ir embora.
 
– Não entendo o porquê de tanto mau humor.
 

Substituição do “porquê”

 
Pode ser substituído por palavras como “motivo”, “razão”  e “causa”. Veja só.
 
– Gostaria de saber a razão desta sujeira na sala.
 
– Me diga apenas um motivo para eu não ir embora.
 
– Não entendo a causa de tanto mau humor.
 

Resumão

Como você já entendeu o motivo de cada um dos “porquês”, aqui vai um resumo rápido para recapitular quando usar cada um deles.
 
Porque: para respostas afirmativas
 
Por que: usado no início de uma pergunta
 
Por quê: para perguntas no final de uma frase
 
Porquê: substantivo; se puder trocar pela palavra “motivo” ou “razão” sem mudar o sentido da frase, use porquê.
 
Agora você já sabe qual é o uso correto dos porquês e está preparado para arrasar na redação. Acesse o Blog do Hexag Medicina e confira muitas dicas e conteúdos interessantes para se destacar no Enem e no vestibular.

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do Hexag.

Compartilhe

Sobre o autor

user

Comentários

Responsive Image

Bitnami