Início / Blog / Vestibular Medicina / Vestibular de Inverno da Universidade Federal de Uberlândia

Vestibular de Inverno da Universidade Federal de Uberlândia

Responsive Image

Neste último final de semana, houve a realização do vestibular de inverno da Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Diferente do ano passado, em que a prova foi realizada em único dia – com 77 questões de múltipla escolha, em um espaço de cinco horas e meia – neste ano a prova foi dividida em dois dias de quatro horas, sendo 60 questões no sábado e 50 no domingo. Além da divisão da primeira fase em duas provas, passou a ser obrigatória para todos os candidatos aprovados para a segunda fase a realização de duas provas contemplando todas as disciplinas.

Um fato relevante neste ano foi o aumento do número de inscritos e, consequentemente, da relação candidato / vaga no vestibular de inverno, que saltou de 338,5 em 2017, para 351,7 em 2018 (para ampla concorrência). Essa tendência também pode ser observada nas modalidades de cotas, que apesar do aumento das divisões entre modalidades (são 09 modalidades entre cotistas e ampla concorrência), chegou a ter até 265,6 candidatos por vaga na modalidade 05. Apesar do aumento no número de inscritos, houve o fato inusitado de termos 5, 2, 8 e 0,5 candidatos por vaga nas modalidades 09, 10, 13 e 14, respectivamente. Esses números que causam uma enorme surpresa em qualquer vestibulando de medicina. Entretanto, mais de 4 mil inscritos se ausentaram nas provas. Muito provavelmente a presença foi afetada pela paralisação dos caminhoneiros e pela crise de abastecimento da gasolina.

Seguindo as mudanças previstas no vestibular da UFU 2018-2, a preparação dos alunos do Hexag Medicina repercutiu grande interesse e adesão. Foram duas semanas e meia de revisão específica para a UFU, pautada em levantamentos estatísticos e também em um intenso trabalho noturno, contemplando tanto a revisão dos principais assuntos, quanto das características específicas das provas da UFU.

Conversando sobre a prova de Física com o Professor e Coach Kevork Soghomonian, ficou nítido que foram preservadas características das provas anteriores: “notamos uma prova mais conceitual novamente” – disse Kevork. Em relação à prova de matemática, Nando Nizoli, Coach e Coordenador do Hexag Medicina – Unidade Higienópolis, apontou que “a prova de Matemática da primeira fase do vestibular da UFU foi bem exigente e, em comparação com provas anteriores, com um grau de dificuldade um pouco maior, se considerarmos os enunciados longos. Isso mostra uma preocupação da banca examinadora com a contextualização dos temas abordados”.

Nessa mesma linha de pensamento, seguiram os demais Coaches e Coordenadores do Hexag Medicina.

“Uma prova acessível e bem equilibrada. A valorização da construção de um leitor consciente dos recursos linguísticos e atento às percepções semânticas nortearam a prova de Linguagem. História e Geografia contemplaram objetos de conhecimento com ampla diversidade e a valorização de Sociologia e Filosofia aplicadas trouxe equilíbrio. De uma forma geral, a UFU trouxe um quadro muito favorável ao aluno que detém conhecimentos amplos do universo do vestibular”, disse Cosme da Cunha, Coordenador e Coach do Hexag Medicina – Unidade Vila Mariana.

“O vestibular da UFU do meio do ano, trouxe uma prova bastante equilibrada entre os conteúdos abordados. Biologia e Geografia foram as disciplinas consideradas fáceis pela maioria dos candidatos. Alguns enunciados enxutos em Literatura e obras literárias podem ter gerado dúvida nos candidatos na hora de marcar a alternativa correta. Língua portuguesa abordou uma grande variedade de gêneros sendo considerada uma prova de nível médio e de aspecto bem próximo ao do ENEM. As questões de Filosofia e Sociologia trouxeram questões técnicas que exigiam um conhecimento de nível médio dos alunos, assim como a prova de Matemática. Química trouxe em grande parte visualizações de fenômenos, com poucos cálculos, algo que poderá aparecer em maior quantidade na segunda fase.  A parte de Física veio com uma grande carga de exercícios teóricos e muito bem distribuídos. História, por sua vez, foi considerada a prova mais difícil de toda a primeira fase. Trouxe temas como revolução mexicana, Era Vargas e sociedades pré-colombianas, exigindo que os alunos apresentassem um conhecimento bem detalhado sobre a disciplina.

Alguns candidatos, com o auxílio dos professores, estão contestando oficialmente o gabarito das questões de Filosofia, Sociologia e Literatura, ou seja, podemos ter anulações de algumas questões. De forma geral posso dizer que foi um exame padrão UFU: exigente, conceitual, moderno e contextualizado, que cumpriu o seu papel de selecionar os melhores alunos para a próxima fase”, relatou Joaquim Matheus, Coordenador e Coach do Hexag Medicina – Unidade Campinas.

Agora é esperar até o dia 15 de junho, quando, às 20h, serão divulgadas as listas de convocados para as provas discursivas da segunda fase, previstas para os dias 23 e 24 de junho.

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores e não refletem necessariamente a opinião do Hexag.

Compartilhe

Sobre o autor

hexag medicina logo

Equipe Hexag Medicina

Cursinho especializado em vestibulares para Medicina.

Comentários

Responsive Image